Apneia do sono e doença cardiovascular: lições de ensaios recentes e necessidade de trabalho em equipe

10/07/2018 | 08:02

Resumo

Pesquisas emergentes destacam as complexas inter-relações entre os distúrbios respiratórios do sono e doenças cardiovasculares, apresentando oportunidades e desafios na pesquisa. Pacientes com doenças cardiovasculares têm alta prevalência de apneia obstrutiva e central associada à respiração de Cheyne-Stokes. Múltiplos mecanismos foram identificados pelos quais esses distúrbios do sono afetam negativamente a estrutura e função cardiovascular. Pesquisas epidemiológicas indicam que a apneia obstrutiva do sono está associada ao aumento na incidência e progressão da doença coronária, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral e fibrilação atrial. A apneia do sono central associada à respiração de Cheyne-Stokes prediz a insuficiência cardíaca e a fibrilação atrial; entre os pacientes com insuficiência cardíaca, a apneia central prediz aumento de mortalidade. Assim, uma literatura sugere claramente as bases mecanicistas e empíricas para considerar a apneia obstrutiva do sono e a apneia do sono central associada à respiração de Cheyne-Stokes como fatores de risco potencialmente modificáveis ​​para doenças cardiovasculares. Os dados de pequenos estudos clínicos fornecem evidências de que o tratamento da apneia obstrutiva do sono com pressão positiva contínua das vias aéreas melhora não só os resultados relatados pelo paciente como sonolência, qualidade de vida e humor, mas também desfechos cardiovasculares intermediários, tais como a pressão arterial, fração de ejeção cardíaca, rigidez arterial e arritmias. No entanto, os dados de ensaios multicêntricos controlados randomizados não suportam atualmente um papel para terapias de pressão positiva para reduzir a mortalidade cardiovascular. Os resultados de dois recentes ensaios randomizados controlados, publicados em 2015 e 2016, levantam questões sobre a eficácia das terapias de pressão na redução dos pontos finais clínicos, embora um dos estudos tenha apoiado o efeito benéfico da pressão positiva contínua nas vias aéreas sobre a qualidade de vida, humor e trabalho de absenteísmo. Esta revisão fornece uma estrutura contextual para interpretar os resultados de estudos recentes, principais mensagens clínicas e sugestões para futuros estudos sobre o sono e a doença cardiovascular, que incluem a consideração dos fatores de risco individuais, o uso de terapias existentes e novas que possam melhorar a adesão ao tratamento e implementação de ensaios com poder suficiente para responder importante subjetivos primários e suportar análises de subgrupos. Esses objetivos podem ser abordados através do fortalecimento da colaboração entre as comunidades de cardiologia, medicina do sono e ensaios clínicos.

Circulation. 2017 Nov 7;136(19):1840-1850. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.117.029400.

Drager LF1McEvoy RD2Barbe F2Lorenzi-Filho G2Redline S1INCOSACT Initiative (International Collaboration of Sleep Apnea Cardiovascular Trialists).

Author information

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top