Capacidade Prognóstica dos Scores Faced e E-Faced, para predição da Mortalidade Anual em Pacientes com Bronquiectasia

20/11/2018 | 21:47

Introdução

Bronquiectasia é uma condição clínica caracterizada por dilatação brônquica permanente e geralmente progressiva, associada a múltiplas exacerbações infecciosas e à diminuição da qualidade de vida de seus pacientes. A melhora no conhecimento atual dessa condição da fisiopatologia evidenciou claramente seu perfil complexo e heterogêneo, cuja gravidade ou prognóstico não podem ser definidos utilizando uma única variável. Consequentemente, escores multidimensionais, como Faced, E-Faced e BSI, foram recentemente desenvolvidos e validados como ferramentas úteis para melhor avaliar a gravidade e prognóstico desta doença. Os escores Faced e E-Faced foram capazes de predizer mortalidade geral e relacionada à causas respiratórias, em grandes coortes de pacientes com bronquiectasia de diferentes países, tanto aos 5 anos como após longo períodos maiores que 10 anos. O objetivo desse estudo foi investigar a habilidade dos escores Faced e E-Faced de predizer mortalidade anual em pacientes com bronquiectasia, do primeiro ao quinto ano de acompanhamento, a partir do diagnóstico radiológico.

Métodos

Os dados foram analisados a partir de um estudo internacional, observacional e multicêntrico de coortes históricas, em pacientes adultos com bronquiectasias, da Espanha e da América Latina. Todas as variáveis foram coletadas o mais próximo possível da data do diagnóstico de bronquiectasias, para evitar interferência dos vários tratamentos durante a evolução clínica. O estado vital de cada paciente foi datado anualmente, do 1º ao 5º ano, a partir da data do diagnóstico radiológico das bronquiectasias. A área sob a curva ROC e o intervalo de confiança a 95% foram utilizados para calcular o poder preditivo anual dos escores Faced e E-Faced, para mortalidade por todas as causas. O estudo incluiu 1470 pacientes consecutivos: 819 da Espanha (sete centros) e 651 de três diferentes países da América Latina (um centro da Argentina, quatro do Brasil e um do Chile). A média de idade foi de 54,1 ± 17,7 anos e 61% deles eram do sexo feminino. O VEF1 médio pós-broncodilatador foi de 65,7 ± 25,2%. O número de exacerbações no ano anterior foi de 1,62 ± 1,8, e o número de internações foi de 0,56 ± 1,1. Infecção brônquica crônica por P. aeruginosa foi identificada em 27,5% dos pacientes. As médias dos escores Faced e E-Faced foram de 2,36 ± 1,8 e 3,02 ± 2,23, respectivamente. A mortalidade cumulativa encontrada foi: 1º ano – 37 (2,5%) pacientes; 2º ano – 72 (4,9%) pacientes; 3º ano – 129 (8,8%) pacientes; 4º ano – 184 (12,5%) pacientes; e 5º ano – 249 (16,9%) pacientes. Os valores de área sob a curva ROC anual para os valores de Faced variaram entre 0,77 a 0,83 e para o E-Faced, entre 0,79 e 0,84.

Conclusão

Os escores Faced e E-Faced se mostraram úteis para predizer a mortalidade por todas as causas, não somente a longo prazo mas também para o seguimento em curto prazo (anual do 1º ao 5º ano após o diagnóstico da doença). Esses dados são de grande valor clínico, tanto para o seguimento dos pacientes como para avaliação de intervenções terapêuticas em estudos futuros.

De la Rosa Carrillo D, Athanazio R, Girón Moreno RM, et al. The annual prognostic ability of Faced and E-Faced scores to predict mortality in patients with bronchiectasis. ERJ Open Research. 2018;4(1):00139-02017. doi:10.1183/23120541.00139-2017.

Link original da publicação.: http://openres.ersjournals.com/content/4/1/00139-2017?ctkey=shareline

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top