Compass: redução do risco residual da doença cardiovascular estável

22/08/2018 | 10:05

Compartilhe:

Apesar de todos os avanços na prevenção secundária da doença aterosclerótica com o uso de AAS, estatinas de alta potência, IECAs e beta bloqueadores, ainda permanecemos com um risco residual de eventos na doença cardiovascular estável de até 10% ao ano. Recentemente, o estudo COMPASS, publicado no New England Journal of Medicine, abriu novas fronteiras na tentativa de se reduzir ainda mais esse risco. Bate-Papo com o InCor repercute em detalhes o assunto com o Dr. Luiz Antônio Machado César, diretor da Unidade Clínica de Coronariopatia Crônica do Instituto.

Vídeos relacionados

Publicidade
back-top