Dia mundial da tuberculose: conheça os sinais

Tosse seca, sudorese noturna, fadiga, falta de ar, febre e emagrecimento podem indicar a presença da doença

19/03/2018 | 08:07

Tosse durante exame
Foto: Wavebreakmedia / iStock

O bacteriologista alemão Robert Koch divulgou no dia 24 de março de 1882 sua maior descoberta, o bacilo causador da tuberculose (uma espécie de bactéria do gênero Mycobacterium denominada bacilo de Koch ou Mycobacterium tuberculosis) que lhe rendeu o Prêmio Nobel de Medicina, no ano de 1905. No centenário da descoberta, em 1982, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares estabeleceram o dia 24 de março como o Dia Mundial da Tuberculose, com o objetivo de alertar a população sobre a doença e promover campanhas mundiais em favor de sua erradicação.

Leia mais: Como prevenir as complicações da pressão alta

Problema grave de saúde global, essa doença infecciosa, transmitida pelo contato interpessoal, pode atacar vários órgãos e sistemas, embora afete principalmente os pulmões. Segundo a Dra. Roberta Karla de Sales, pneumologista do InCor, a tuberculose acomete por volta de 10 milhões de pessoas no mundo e está entre as dez doenças que mais matam em todo o mundo (aproximadamente mais de um milhão de pessoas por ano). Nos últimos cinco anos, tem liderado a lista de causas de morte de um único agente infeccioso, com classificação acima do HIV / AIDS.

No Brasil, a doença é um sério problema da saúde pública e tem raízes sociais. A cada ano são notificados aproximadamente 70 mil casos novos e cerca de 4,5 mil mortes em decorrência da tuberculose. Isso tudo apesar de ela ser uma doença que diagnosticada precocemente e tratada de maneira correta pode curar os pacientes, diz a médica .

O principal sintoma da tuberculose é a tosse com ou sem expectoração (catarro). Por isso, recomenda-se que todo sintomático respiratório – ou seja, pessoa com tosse há mais de três semanas – procure uma unidade básica de saúde ou o médico com o qual faz acompanhamento para que seja investigado. Outros sintomas e sinais, como suores noturno, cansaço ou fadiga, falta de ar, febre vespertina e emagrecimento, podem fazer parte da apresentação clínica da tuberculose.

Na maioria dos casos, explica a pneumologista, o diagnóstico é realizado com análise do escarro (teste rápido molecular, pesquisa e cultura para Mycobacterium tuberculosis). Cada indivíduo portador de escarro positivo para o Bacilo de Koch, também chamado de indivíduo bacilífero, se não tratado, pode infectar em média 10 a 15 pessoas por ano.

Alguns fatores contribuem para a disseminação da doença. Alta densidade populacional, más condições sanitárias, pobreza e desnutrição são alguns deles, assim como doenças ou condições que reduzem a imunidade, caso, por exemplo, dos indivíduos que convivem com AIDS -HIV, são transplantados, usam terapia imunossupressora ou são portadores de silicose.

O tratamento da tuberculose inclui quatro medicamentos administradas por via oral. Todos estão disponíveis na rede pública de saúde e são gratuitos. Apesar de a transmissão se dar pelo contato entre pessoas, não é necessário separar produtos de higiene de uso diário como copos e talheres.

É importante lembrar que a tuberculose é uma doença de distribuição mundial e que não discrimina raça, gênero ou opções religiosas. É um mal que não tem pátria, mas, tem cura. E a informação é a principal arma na luta contra a doença, afirma a Dra. Roberta.

Veja também

22/10/2018 | Alimentação saudável

Como controlar o peso e o diabetes

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top