Efeito da estratégia protetora de ventilação pulmonar e de recrutamento alveolar intensivo versus moderado, sobre complicações pulmonares pós-operatórias

18/04/2018 | 09:01

RESUMO

Introdução

Recomenda-se ventilação mecânica perioperatória de proteção pulmonar, para reduzir complicações pulmonares após cirurgia cardíaca. O papel protetor de um baixo volume corrente já foi estabelecido, enquanto a proteção adicional oferecida pelo recrutamento alveolar continuam controversas. O estudo teve o objetivo de determinar se uma estratégia intensiva de recrutamento alveolar poderia reduzir complicações pulmonares pós-operatórias, quando adicionada a uma ventilação protetora com baixos volumes correntes.

Método

Ensaio clínico e randomizado de pacientes com hipoxemia após cirurgia cardíaca, em uma única UTI no Brasil (dezembro de 2011-2014). Estratégia de recrutamento intensivo (n = 157) ou estratégia de recrutamento moderada (n = 163), mais ventilação protetora com baixos volumes correntes e altos PEEP..

Principais resultados e medidas

A gravidade das complicações pulmonares pós-operatórias foi calculada até a alta hospitalar, analisada pelo Odds Ratio (OR), para detectar desvio ordinal na distribuição do escore de gravidade da complicação pulmonar (escala de 0 a 5, sendo 0 sem complicações e 5, morte). Os resultados secundários pré-especificados foram o período de permanência na UTI e no hospital, incidência de barotrauma e mortalidade hospitalar.

Resultado

Todos os 320 pacientes (idade média, 62 anos, IQR, 56-69 anos, 125 mulheres [39%]) completaram o estudo. O grupo da estratégia de recrutamento intensivo apresentou média de 1,8 (IC 95%, 1,7 a2,0) e índice de complicações pulmonares mediano de 1,7 (IQR, 1,0-2,0) versus 2,1 (IC 95%, 2,0-2,3)e 2.0 (IQR, 1.5-3.0), para o grupo de estratégia moderada. Em geral, os escores de resultados mudaram consistentemente em favor da estratégia intensiva, com um OR para pontuações mais baixas de 1,86 (IC 95%, 1,22 a 2,83; P = 0,003). O período hospitalar médio para o grupo moderado foi de 12,4 dias versus 10,9 dias, no grupo intensivo (diferença absoluta, -1,5 dias, 95%CI, -3,1 a -0,3; P = 0,04). A permanência média na UTI para o grupo moderado foi de 4,8 dias versus 3,8 dias, para o grupo intensivo (diferença absoluta, -1,0 dias, IC 95%, -1,6 a -0,2; P = 0,01). Mortalidade hospitalar (2,5% no grupo intensivo versus 4,9% no grupo moderado, diferença absoluta,-2,4%, IC 95%, -7,1% a 2,2%) e incidência de barotrauma (0% no grupo intensivo versus 0,6%no grupo moderado; diferença absoluta entre os grupos de -0,6%; IC 95%, -1,8% a 0,6%; P = .51) não diferem significativamente.

Conclusão

Entre pacientes com hipoxemia após cirurgia cardíaca, o uso de uma estratégia de recrutamento alveolar intensivo, acrescida de uma ventilação pulmonar protetora, resultou em complicações pulmonares menos graves e reduziu o tempo de internação hospitalar.


Referência Bibliográfica

  1. Costa Leme A, Hajjar LA, Volpe MS, et al. Effect of intensive vs moderate alveolar recruitment strategies added to lung-protective ventilation on postoperative pulmonary complications: a randomized clinical trial.JAMA. 2017;317(14):1422-1432.

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top