IMC e risco de apneia entre os japoneses

O formato mais achatado do rosto dos asiáticos favorece a emergência da apneia apenas quando o indivíduo é obeso

19/01/2018 | 22:56

risco de apneia entre os japoneses
O brasileiro de origem japonesa apresentou dimensões da base craniana menores (NS e NSBa) (A), sugerindo restrição óssea em comparação com o indivíduo branco (B). No entanto, o indivíduo de origem japonesa apresentou menor volume de língua e relação de volume língua / mandibula (C) em relação ao  indivíduo branco (D), indicando  melhor equilíbrio entre volume  ósseo e partes moles da faringe.


Os médicos devem prestar atenção especial no Índice de Massa Corporal (IMC) de seus pacientes japoneses para avaliação de risco cardiovascular e de apneia do sono. Apesar de parecerem mais magros e mais saudáveis, os orientais apresentam a mesma prevalência de apneia obstrutiva do sono dos ocidentais e correm o mesmo risco de ter problemas cardiovasculares quando desenvolvem obesidade. A observação é de um artigo do Laboratório do Sono do InCor, publicado na revista Chest, do The American College of Chest Physicians¹
.

Desenvolvido como pesquisa de doutorado por Fabiola Schorr, sob orientação dos pneumologistas Pedro Genta e Geraldo Lorenzi, o estudo mostra ainda que o formato dos ossos do crânio e da face dos orientais, mais achatado, favorece o desenvolvimento da apneia do sono, mas somente em associação com a obesidade. O problema é que, por constituição genética e por causa da alimentação menos calórica que consomem os japoneses não aparentam a obesidade como os ocidentais. Tanto que o Índice de Massa Corporal (IMC) para diagnosticar a obesidade entre eles é mais baixo.

Leia mais: Um em cada três brasileiros irá morrer de alguma doença cardiovascular

Enquanto para os ocidentais o IMC indicativo de obesidade deve ser igual a 30 Kg/m2 ou acima, o IMC de obesidade considerado para os asiáticos é de 25 Kg/m2. Essa alteração foi definida no ano 2000 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), quando dados de estudos começaram a revelar que a curva das doenças relacionadas à obesidade, como diabetes e hipertensão, aumentava entre os asiáticos com IMC de 25.

Além do fator IMC, estudos realizados em países orientais demonstraram que, realmente, o formato do rosto, mais achatado, um traço genético dos asiáticos, contribui para a apneia quando o indivíduo é obeso. Essa característica restringe o volume da cavidade oral e poderia projetar a língua mais para trás, aumentando o risco de obstrução. Mas, a prevalência da apneia entre eles, contrariamente ao que muitos japoneses pensavam, não é maior do que entre os ocidentais.


Referência Bibliográfica

  1. Different Craniofacial Characteristics Predict Upper Airway Collapsibility in Japanese-Brazilian and White Me, Schorr, Fabiola et al.CHEST, Volume 149 , Issue 3 , 737 – 746

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top