Influência da capacidade neuromuscular e do consumo de oxigênio na morfologia e função do coração direito de atletas de força e de resistência aeróbia

21/01/2020 | 18:00

Devido à intensidade dos treinamentos, atletas podem apresentar adaptações morfológicas e funcionais no lado direito do coração, no entanto, a influência da aptidão física sobre tais adaptações não está completamente elucidada. Objetivos: Estudar a influência da capacidade neuromuscular e do consumo de oxigênio na morfologia e função do coração direito de atletas de força e de resistência aeróbia. Métodos: Foram selecionados 90 homens com média de idade de 33,0 ± 8,0 anos constituindo-se três grupos: grupo força (GF), formado por 30 atletas de musculação; grupo resistência aeróbia (GR), formado por 30 atletas de resistência aeróbia; grupo controle (GC), formado por 30 indivíduos saudáveis não atletas. Para avaliação morfológica e funcional cardíacas foi realizado ecocardiograma bidimensional com Doppler colorido e ventriculografia radioisotópica. O consumo máximo de oxigênio (VO2pico) foi avaliado por meio do teste cardiopulmonar em esteira, a força muscular por meio do teste de uma repetição máxima (1RM) nos exercícios de supino e leg press, e a resistência muscular nos mesmos exercícios por meio do teste de repetições máximas com 50% de 1RM. Foi aplicado o coeficiente de correlação de Pearson, regressão linear simples e múltipla para verificar a influência da aptidão física na morfologia e função do coração direito. Resultados: O GF apresentou 1RM supino maior que o GC e GR (p<0,001) e a velocidade correspondente ao VO2pico (vVO2pico) foi maior no GR (p<0,001). Tanto GF quanto GR apresentaram diâmetro transverso basal do ventrículo direito (VD) e área do átrio direito (AD) maiores do que no GC (p<0,001). Foi observada correlação entre diâmetro transverso basal do VD e 1RM supino (r = 0,616 p<0,001) e entre área do AD e vVO2pico (r = 0,574 p<0,001). Não foram observadas correlações altas entre aspectos funcionais cardíacos e aptidão física. A regressão linear múltipla mostrou que o 1RM supino influencia no diâmetro transverso basal do VD (R2 = 0,497 β = 0,012 p<0,001) e que a vVO2pico influencia na área do AD (R2 = 0,462 β = 0,827 p<0,001). Conclusão: A capacidade neuromuscular e o consumo de oxigênio influenciam mais na morfologia do que na função do coração direito dos atletas avaliados neste estudo. Nossos dados sugerem que, em atletas é possível predizer as dimensões de VD e AD por meio das capacidades neuromuscular e cardiorrespiratória utilizando-se testes simples e de baixo custo, no entanto, estudos futuros são necessários para validação desses métodos preditivos.

Descritores: Atletas, Remodelamento atrial, Remodelação ventricular, Ecocardiografia, Ventriculografia com radionuclídeos, Capacidade aeróbia, Força muscular.

Miranda DP. Influência da capacidade neuromuscular e do consumo de oxigênio na morfologia e função do coração direito de atletas de força e de resistência aeróbia [tese]. São Paulo: Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo; 2019.

Autor: Douglas Pinheiros Miranda
Orientador: Profa. Dra. Vera Maria Cury Salemi
Programa: Cardiologia
Data e local: 21 de janeiro de 2020, às 8h, na Farmacologia – Av. Dr. Arnaldo, 455 – 3º andar FMUSP.

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top