O controle de sintomas e a obstrução do fluxo aéreo em asmáticos graves

20/03/2018 | 08:00

Autor: Dra. Regina Carvalho Pinto

Titulo

A patologia das vias aéreas na asma grave está relacionada à obstrução do fluxo aéreo, mas não ao controle de sintomas

Introdução

Acredita-se que os pacientes com asma apresentam alterações estruturais e inflamatórias das vias aéreas que podem desempenhar um papel na gravidade da doença. No entanto, o remodelamento e a inflamação das vias aéreas não foram amplamente investigados em relação ao controle de sintomas e à obstrução do fluxo aéreo em asmáticos graves. O objetivo desse estudo foi investigar as características inflamatórias e patológicas estruturais, em biópsias brônquicas de asmáticos graves, que poderiam estar relacionadas ao controle de sintomas e à obstrução do fluxo aéreo, depois do tratamento padronizado.

Material e Métodos

50 asmáticos graves receberam prednisona 40 mg/dia por 2 semanas e terapia de manutenção com budesonida/formoterol 400/12 mcg , duas vezes ao dia, mais budesonida/formoterol 200/6 mcg, se necessário, por 12 semanas. Ao final das 12 semanas foram realizadas biópsias endobrônquicas. Foram feitas análises imunopatológicas da inflamação do tecido das vias aéreas e das características do remodelamento, em pacientes estratificados, de acordo com o controle de sintomas da asma e da obstrução do fluxo aéreo. Resultados: A inflamação e o remodelamento do tecido das vias aéreas não tiveram associação com o controle de sintomas. Os asmáticos com obstrução persistente ao fluxo aéreo apresentaram maior área de músculo liso das vias aéreas (Asm), com diminuição da periostina e de células positivas para o fator de transformação do crescimento beta nos feixes de Asm, além de menor número de mastócitos positivos para quimase na submucosa, quando comparados com pacientes com obstrução não persistente.

Conclusões

O controle de sintomas em asmáticos graves não foi associado à inflamação e ao remodelamento das vias aéreas, contudo, a obstrução persistente do fluxo aéreo, nesses pacientes, apresentou associação com a inflamação brônquica e com as mudanças estruturais das vias aéreas.


Referência Bibliográfica

  1. Ferreira DS, Carvalho-Pinto RM, Gregorio MG, Annoni R, Teles AM; Buttignol M, et al. Airway pathology in severe asthma is related to airflow obstruction but not symptom control. Allergy. 2017 Sep 27; 1–9.
    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28960335

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top