Proteção miocárdica no tratamento oncológico

24/07/2018 | 03:23

Compartilhe:

Se, de um lado, a evolução dos quimioterápicos no tratamento de neoplasias tem melhorado a sobrevida dos pacientes oncológicos, de outro, as complicações decorrentes dessa terapia ainda são prevalentes, e a cardiotoxicidade figura entre as mais graves e temidas. Embora as diretrizes nacionais e internacionais sejam mais uniformes com relação à cardiotoxicidade instalada, no âmbito da prevenção, as evidências são escassas. É nesse campo que o estudo brasileiro CECCY trial lança novas e promissoras perspectivas. Em março deste ano, o trabalho foi apresentado em destaque no “Late Breaking Clinical Trials” do Congresso da ACC, nos Estados Unidos.

Bate-Papo InCor traz a primeira autora do trabalho, a Dra. Mônica Ávila, para conversar sobre os principais achados deste estudo prospectivo randomizado que avaliou o uso do carvedilol na prevenção primária da cardiotoxicidade por antraciclina. Em entrevista à Dra. Bruna Scarpa, ela comenta o impacto dos resultados na prática clínica.

Publicidade
back-top