Resultados do tratamento cirúrgico do câncer de pulmão em instituições de referência de países com diferentes índices de desigualdade socioeconômica

26/11/2019 | 18:00

O tratamento cirúrgico para o câncer de pulmão representa a maior probabilidade para se alcançar a cura e sua viabilidade depende do diagnóstico precoce, de condições clínicas do paciente e do acesso aos serviços de saúde. Esse acesso provém do tipo de assistência à saúde e de condições socioeconômicas do paciente e do meio em que ele se insere. OBJETIVOS: Avaliar a influência de fatores socioeconômicos e das agências prestadoras de saúde sobre os resultados do tratamento cirúrgico para o câncer de pulmão, através da análise dos resultados de instituições de referência pertencentes a países com diferentes níveis de desigualdade social. MÉTODOS: Estudo retrospectivo que consistiu na coleta de bancos de dados. Foram comparados 4 grupos: SUS, pacientes brasileiros atendidos pelo Sistema Único de Saúde; pacientes brasileiros atendidos por convênios ou regime particular (grupo Privado); pacientes ingleses atendidos pelo National Health Service (NHS), o serviço de saúde público britânico; e os pacientes ingleses cobertos pela assistência privada (grupo Private). Foram obtidos dados clínicos e índices socioeconômicos de vulnerabilidade social. Foi realizada análise de dados e comparação entre os grupos quanto à morbimortalidade pós-operatória e sobrevida global. RESULTADOS: Foram incluídos 2594 pacientes, sendo 411 do grupo SUS, 215 do Privado, 1651 do NHS e 317 do grupo Private. As idades médias foram, respectivamente: 64,5 anos (±12,3); 63,6 anos (±12,3); 67,3 anos (±10,2); 64,9 anos (±11,5). O grupo com a maior frequência de complicações pós-operatórias foi o SUS (37,7%), seguido pelo grupo NHS (34,8%), Private (29,0%) e, por último, o grupo Privado (24,5%). O risco de complicações foi analisado em relação ao grupo Privado: SUS apresentou OR=1,870 (p=0,002); NHS OR=1,646 (p=0,005) e Private OR=1,263 (p=0,270). Em relação a complicações maiores, os riscos foram: SUS OR=2,373 (p=0,001); NHS OR=2,567 (p<0,001) e Private OR 1,258 (p=0,424). A proporção de mortalidade intra-hospitalar no grupo SUS foi a maior (4,4%; Privado 0,5%; NHS 1,1%; Private 0,6%). Em comparação ao grupo Privado, os riscos foram: SUS – OR=9,802 (p=0,027); NHS – OR=2,359 (p=0,405) e Private – OR=1,359 (p=0,803). CONCLUSÕES: os grupos da saúde pública, SUS e NHS, apresentaram maiores taxas de complicações e mortes pós-operatórias em relação aos grupos privados. A diferença entre os resultados foi mais ampla entre os grupos brasileiros do que entre os ingleses.

Descritores: Câncer de pulmão, Cirurgia, Resultados, Fatores socioeconômicos, Prestadores de saúde, Saúde universal.

Kazantzis T. Resultados do tratamento cirúrgico do câncer de pulmão em instituições de referência de países com diferentes índices de desigualdade socioeconômica [Tese]. São Paulo: Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo; 2019.

Autora: Thamara Kazantzis
Orientador: Prof. Dr. Ricardo Mingarini Terra
Programa: Cirurgia Torácica
Data e local: dia 26 de novembro, às 13h30, na Fisiologia (Sala 3303) – Av. Dr. Arnaldo, 455 – 3º andar FMUSP.

Acesse a tese completa em PDF

Receba novidades do InCor

Escreva abaixo seu nome e email para lhe enviarmos nossa newsletter semanal com as últimas atualizações do portal Referência InCor.


Publicidade
back-top